O turismo reabre na Colômbia, mas tem poucos clientes

Tourism reopens in Colombia, but has few customers

As companhias aéreas tiveram a maior ocupação. Na verdade, vários deles vão expandir suas operações na próxima semana.

A primeira semana de reabertura de várias das atividades mais afetadas pela quarentena obrigatória que terminou a 31 de agosto, nomeadamente transportes aéreos e terrestres, e turismo e restauração, apresenta um equilíbrio agridoce.

Em todos os casos, o denominador comum tem sido o baixo número de clientes.

Embora os empresários desses setores reconheçam que não esperavam uma avalanche de demanda, garantem que, apesar de seus negócios ainda não serem lucrativos, continuarão trabalhando até o ponto de equilíbrio e iniciar a recuperação financeira.

‘MUITO VÔO MAS POUCOS PASSAGEIROS’

No transporte intermunicipal, os números registrados entre terça e ontem indicam que as vendas de passagens ficaram em média entre 30% e 40%, embora o número de passageiros mobilizados tenha um limite base de 50%, o podendo ser estendido para 70% ou 75%, quando alguns bilhetes forem emitidos para membros da mesma família.

A OCUPAÇÃO DOS HOTÉIS ESTÁ A PASSOS LENTOS

A taxa de ocupação hoteleira nacional era de 12% em junho. Segundo Cotelco, 80% dos hotéis da Colômbia estavam fechados até julho, número que subiu para 70% em agosto, já que em algumas partes do país houve uma reativação dos serviços hoteleiros, em decorrência de um decreto do Governo.

Quanto à ocupação, em estados como Antioquia era de 8,3% em agosto, enquanto no Valle del Cauca era de 8,35%. Neste último estado, o valor preliminar da primeira semana de reativação indica que a taxa de ocupação para os primeiros quatro dias do mês é de 8,72%. Os hoteleiros desejam que a reabertura dos transportes aéreos e terrestres se traduza rapidamente na chegada dos hóspedes, principalmente nas cidades com maior atracção turística.

LINHAS AÉREAS AUMENTAM ROTAS E VOOS

Os números de passageiros mobilizados por avião entre terça e ontem também indicam que nem todos os voos foram realizados com lotação total. Até ontem, às 17h, 23.537 passageiros haviam sido mobilizados em 802 voos. Para a segunda semana de reativação, que começa nesta segunda-feira, as companhias aéreas planejam agregar voos. Assim como Avianca, Latam e Easyfly, enquanto a Viva Air continuará com suas 18 rotas.

No caso da Avianca, na segunda-feira, serão retomados os voos para Pasto, Santa Marta e Villavicencio de Bogotá, junto com as rotas Cali-Medellín e Cartagena-Medellín.

Enquanto isso, a Easyfly começará a operar nesse dia entre Bogotá-Villavicencio, Villavicencio-Medellín e Barranquilla-Montería. Porém, para terça-feira ele espera a reativação da rota entre Villavicencio e Bucaramanga; e uma semana depois, em 15 de setembro, voltará Bucaramanga-Cartagena.

A companhia aérea Latam continuará a voar de Bogotá a Medellín, Cali, Barranquilla, Cartagena e Bucaramanga e iniciará operações para Letícia e Santa Marta.

RESTAURANTES

Guillermo Henrique Gómez Paris, Presidente Executivo da Acodrés, explicou que a reabertura de restaurantes está indo muito bem em algumas cidades. Ele deu como exemplo o que está acontecendo em Pereira.

Ele acrescentou que na Armênia houve um problema porque o governo estabeleceu um toque de recolher e uma lei seca, que bloqueou os pilotos em movimento. Em Manizales, ele informou que o processo está lento, mas seguro.

Gómez destacou o case Cali como um dos melhores modelos de reabertura do país. “Os restaurantes foram habilitados, dentro e fora de suas instalações. O atendimento tem sido massivo, permanente, as pessoas se cuidam e tudo está indo extremamente bem ”, afirmou. Quanto a Medellín, considerou que por ser uma grande cidade apresenta limitações.

Embora as áreas reconhecidas como gastronômicas tenham tido vendas e movimento e as mesmas mostrem os restaurantes mais posicionados do mercado, as praças e a maior parte da oferta que se limita ao que no setor se chama de restaurantes de escritório, enfrentam dificuldades e suas vendas são afetadas pela promoção do teletrabalho.

Com relação a Barranquilla, Acodrés também dá uma parte positiva, começou com 30 pontos abertos e já está com 90, disse Guillermo Gómez, enquanto Bucaramanga é uma das últimas cidades a permitir que os restaurantes abram suas portas. Isso será na próxima segunda-feira, 7 de setembro. Popayán já reabriu, em Santa Marta a Prefeitura está perto de autorizar a abertura e em San Andrés não foi permitido o reinício das atividades.