Novas tecnologias para ajudar a indústria de viagens a reiniciar os negócios e reabrir com mais segurança após a pandemia de COVID-19.

Os produtos usam inteligência artificial para tornar a viagem mais segura durante uma pandemia.

Cartão Covid-19 Pass

Em junho, a empresa israelense Pangea anunciou seu cartão Covid-19 Pass. Ao contrário dos documentos considerados em países como Chile e Alemanha, que anunciam que o titular se recuperou do Covid-19, o Pass Card é mais como um passaporte digital com duas partes: um smart card biométrico e um mecanismo de previsão que inclui um portal da web , acessível por computador ou smartfone.

O portal fornece requisitos de teste personalizados com base nas cidades de partida e chegada, para que os portadores do cartão saibam se precisam fazer o teste do vírus antes do voo ou depois de aterrissar e por quantos dias um teste permanece válido.

O cartão inteligente, criptografado e baseado no reconhecimento de impressões faciais e digitais, carrega os dados de teste Covid-19 do portador do cartão, bem como o perfil médico e os registros de imunização do viajante para outras doenças como febre amarela, sarampo e hepatite.

A empresa aguarda aprovação do Ministério da Saúde de Israel para conceder o cartão aos cidadãos israelenses.

Óculos de leitura de temperatura

A Rokid e um empresa do ramo de robotica e IA com base em Sao Francisco, California. Eles estao desenvolvendo o Rokid Glass, óculos de realidade aumentada. Este oculos têm como objetivos a detecção de temperatura e distanciamento social. Os óculos sao movidos a energia solar, usam um sensor infravermelho e uma câmera, permitindo que os usuários “vejam” essencialmente a temperatura das pessoas ao seu redor. Segundo Liang Guan, diretor da Rokid para os EUA, disse que os óculos podem medir até 10 pessoas simultaneamente.

O Departamento de Segurança de Transportes de Dubai é um cliente – eles usam os óculos desde abril para detectar a temperatura corporal em aeroportos, metrôs e bombeiros. O Singapore Mass Rapid Transit também os comprou para o mesmo uso, bem como a Aeropuertos Argentina, uma das maiores operadoras de aeroportos do setor privado do mundo, com 35 aeroportos sob sua administração na América do Sul.Os óculos também estão disponíveis na Amazon, a um preço elevado de US $ 6.999.

Um guia turístico que fala 17 idiomas

Bespoke. Inc., é uma empresa japonesa de desenvolvimento de chatbot com sede em Tóquio, que lançou um chatbot com IA multi-idiomas. O chatbot chamado Bebot. Ele oferece aos viajantes informações atualizadas sobre a pandemia de COVID-19, estatísticas e sintomas.

O Sitata, um aplicativo de viagens que monitora possíveis interrupções de viagens, introduziu uma nova plataforma focada em pandemia, o Covid Checker, para ajudar os viajantes a rastrear restrições e fazer uma avaliação dos riscos.

Em Miami, os desenvolvedores do Legacy Hotel and Residences, um complexo de resort e condomínio ancorado por um centro médico no local. Eles estão bancando um sistema de filtragem de ar controlado por IA e um centro de diagnóstico médico com inteligência artificial para atrair residentes e convidados com a promessa de saúde e segurança.

Os guias turísticos também estão se tornando artificiais. Alex Bainbridge estava trabalhando em um guia turístico interativo para incorporar um carro sem motorista quando a pandemia iniciou. Alimentado por um aplicativo, a SAHRA fala 17 idiomas e faz várias perguntas aos clientes antes de criar um itinerário local guiado. Ela atualmente ofereça apenas passeios gastronômicos, em várias cidades, incluindo Nova York, Londres e Sevilha.

SAHARA foi projetado para ser utilizado em bicicletas, scooters elétricas ou em carros particulares. A SAHRA faz parte do chatbot, parte do mapa interativo, e o plano é eventualmente incorporar os passeios em veículos autônomos. A Bainbridge prevê que esses veiculos serão comuns no mercado de viagens até 2025.