Pena de morte foi para o atirador na igreja em Charleston foi mantida

Court Uphold Dylann Roof's Death Sentence

Um tribunal de apelações dos EUA confirmou na quarta-feira a sentença de morte de Dylann Roof, o atirador branco condenado pela morte de nove fiéis negros em uma igreja da Carolina do Sul em 2015.

Armado com uma pistola calibre .45, Roof disparou 77 tiros em seu tiroteio na histórica Igreja Episcopal Metodista Africana Mãe Emanuel em Charleston em 17 de junho de 2015.

Roof, que tinha 21 anos na época, “assassinou afro-americanos em sua igreja, durante seu estudo bíblico e adoração. Eles o acolheram. Ele os massacrou”, dizia parte da decisão do tribunal.

Roof, agora com 27 anos, não corre o risco de ser executado a curto prazo, já que o governo do presidente americano Joe Biden impôs uma moratória às execuções federais.

Conforme declarado em um manifesto racista, o objetivo de Roof era “fomentar a divisão racial e conflitos” em todo o país.

“Nenhum registro frio ou análise cuidadosa de estatutos e precedentes pode capturar todo o horror do que Roof fez. Seus crimes o qualificam para a pena mais severa que uma sociedade justa pode impor”, diz a decisão.

O massacre da Igreja Mother Emmanuel AME “é um dos piores eventos não apenas na história da Carolina do Sul, mas também na história de nosso país”, disse Nathan Williams, um dos principais promotores do caso no escritório do procurador dos Estados Unidos na Carolina do Sul.

Roof foi condenado no início de 2017 sem ter expressado pesar ou desculpas.

Seus advogados apelaram da condenação alegando que Roof não deveria ter se representado no julgamento – um argumento que não convenceu o tribunal de apelação.